Archive for outubro \23\UTC 2007

h1

O carro e a catarse

outubro 23, 2007

“Por exemplo um cortador de madeira: ele não precisa de nenhuma catarse porque apenas cortando a lenha todos os instintos assassinos dele são jogados fora. Cortar lenha é como assassinar uma árvore. Um quebrador de pedras não precisa de nenhuma meditação catártica. O dia inteiro ele a está fazendo. Mas para o homem moderno as coisas mudaram. Agora você vive em um tal conforto que não há possibilidade de nenhuma catarse na sua vida, com exceção que você pode dirigir de forma insana.

É por isso que no Ocidente mais e mais pessoas morrem todos os anos por causa de acidentes automobilísticos do que por qualquer outra coisa. Essa é a grande doença. Nem por câncer, nem por tuberculose… nenhuma outra doença toma tantas vidas como os acidentes de carro. Na segunda guerra mundial, em um ano milhões de pessoas morreram. Mais pessoas morrem todos os anos ao redor da terra por causa de motoristas de carro insanos.

Se você é um motorista deve ter observado que quando está com raiva, você acelera. Você vai pisando no acelerador, você simplesmente esquece o freio. Quando você está furioso, irritado, o carro se torna um meio de expressão. Fora isso você vive em um tal conforto, fazendo cada vez menos atividades com o corpo, vivendo cada vez mais na mente.”

Osho – Yoga, the Alpha and the Omega, Vol IV

“Se você é paciente em um momento de raiva, você evitará cem dias de sofrimento.” — Provérbio Chinês

Anúncios
h1

Deus é grande

outubro 18, 2007

Um corpo humano de 70kg possue aproximadamente 7x10e27 átomos (7,000,000,000,000,000,000,000,000,000). Imagine que o sistema solar fosse um desses átomos, o núcleo seria o sol e os elétrons seriam os planetas que o orbitam.
A humanidade habitaria um desses minúsculos elétrons, nesse oceano infinito de átomos que é um corpo humano.
Poderia o Homem, com toda sua capacidade inteligente, descobrir que habita uma estrutura infinitamente maior que ele (o universo é para o homem, o que o corpo humano é para o átomo) ?

A natureza repete padrões em diferentes escalas. Temos um exemplo vivo da infinidade que é o Universo, no nosso próprio corpo.

Através desse exemplo chega-se a conclusão de que existem infinitas células, que habitam infinitas formas de vida, que habitam infinitos planetas, que habitam infinitas estrelas, que habitam infinitas galáxias, que habitam infinitos universos…